Imagem em destaque O Centro Histórico de Gaia Tem Dois Novos Murais Ligados à Temática da Água 560x416 - O Centro Histórico de Gaia Tem Dois Novos Murais Ligados à Temática da Água

O Centro Histórico de Vila Nova de Gaia conta agora com dois novos murais. As obras, da autoria dos artistas Von Calhau! e Rigo 23, são homenagens à água. A iniciativa da criação dos murais está inserida na exposição Não é ainda o mar, que por sua vez, faz parte do festival da região Gaia Todo um Mundo.

Para o seu mural, a dupla que constitui os Von Calhau!, Marta Ângela e João Alves, optou por um trabalho simples e quase impercetível.

Quando chegaram ao local designado repararam que certas partes das paredes apresentavam tons cinzentos que escondiam grafitos. Então, os artistas decidiram criar uma moldura que enfatizasse as tentativas de correção dos grafitos.

Postar imagem O Centro Histórico de Gaia Tem Dois Novos Murais Ligados à Temática da Água Murais - O Centro Histórico de Gaia Tem Dois Novos Murais Ligados à Temática da Água

No seu local de trabalho encontraram também uma seta com a inscrição “visiteurs” que encaminhava os turistas franceses para as caves de Vinho do Porto. A ação do tempo tinha tornado algumas letras quase ininteligíveis. A dupla optou então por readaptar a seta e torná-la de novo claramente visível.

O segundo mural é da autoria de Rigo 23. Na sua obra, o autor inscreveu a palavra “água” com grandes letras. A altura do mural e o tamanho das letras permitem que o trabalho seja visto em vários pontos da zona, incluindo do outro lado do rio.

Numa região onde o rio é um ícone, as ruas estão repletas de fontes e riachos e a chuva é frequente, Rigo 23 considerou que era necessário existir uma homenagem simples, mas impactante à palavra “água”.

Postar imagem O Centro Histórico de Gaia Tem Dois Novos Murais Ligados à Temática da Água Novos Murais - O Centro Histórico de Gaia Tem Dois Novos Murais Ligados à Temática da Água

Embora o mural possa ser visto de bem longe, algumas partes do mesmo só são percetíveis a quem está bem perto. O artista quis explorar essa dicotomia.

Apenas passando na Rua da Barroca é que é possível ver que o mural exibe também um cérebro, um coração e o nosso planeta. Junto de cada elemento encontra-se a percentagem de água correspondente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *